quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Vida livre...

Sempre fiquei pensando se a vida que meus gatos levavam dentro de um apartamento era satisfatória para eles. Será que os limites que impunha a eles não lhes era prejudicial?!?!? Pensei muito nisso principalmente depois que tive minha primeira perda - a Milka, uma gata muito querida, que despertava em mim muitos sentimentos bons, pois ela era muito especial.

Este pensamento, que muitas vezes ocupou minha mente, foi um dos motivos pelos quais quis mudar meu estilo de vida. Poder morar numa casa, onde eu tivesse um quintal, onde meus gatos pudessem “viajar” um pouco mais além de quatro ou cinco paredes.

Atualmente, tenho três gatos. O primeiro, e sempre especial, o Estopa, que no começo deste mês completou 17 anos. A Fufi que, contando com as 2 perdas que tive (Milka e Faísca) foi a quarta aquisição e hoje está com 8 anos. E, o último, o Lex, com pouco mais de 1 ano.

É uma turminha bem heterogênea. Cada um com suas manias, graças e particularidades. Cada um ao seu modo me faz saber o que é amar.

Quando comecei colocar em prática o meu sonho de sair de São Paulo, fiquei pensando muito o que uma mudança radical poderia ocasionar em cada um deles. Sabia que o Lex, pelas estripulias que fazia no apartamento, dar-se-ia muito bem num espaço maior... A Fufi, acho que não estranharia muito, pois o que ela mais gosta é de uma caminha, um sofá... coisas macias, sabe(?!) - como minha cama e o sofá também iriam na mudança, então acho que tudo ficaria bem pra ela! Quem me preocupava mesmo era o Estopa, que depois de viver toda sua existência num mundinho tão restrito (tudo bem que ele conheceu vários apartamentos, mas sempre com pouco espaço e rede nas janelas), não sei como ele reagiria com tanto espaço, mas o que mais me preocupava era o stress da mudança (os gatos viriam de avião!!!).

A mudança foi uma epopéia quase sem fim, pois entre empacotamento em São Paulo e chegada da mudança em Trancoso foram 7 dias (daria um bom capítulo no blog!). O Estopa veio comigo e ficamos hospedados na Pousada Le Refuge, pois chegamos antes da mudança e não daria pra ficar na casa sem móveis, nem nada! Os outros dois, a Fufi e o Lex, só viriam depois da mudança chegar.

Acho que o Estopa detestou a viagem, pois quando o peguei no aeroporto, seus olhos estavam tão esbugalhados e vidrados que nem sei se ele conseguia me ver!!!! Totalmente atordoado! Talvez tenha sido um erro trazê-lo antes, pois ele teve que ficar vários dias sozinho no quarto da pousada, enquanto eu limpava a casa pra receber a mudança.
Ele não comeu um grão sequer de ração por 3 dias!!!! Só bebia água. Temi que ele não fosse agüentar por muito tempo, então usei de psicologia: - ração guela abaixo. Bom, teve uma hora que ele deve ter se enchido da minha insistência em fazê-lo comer e resolveu que poderia fazer isso sozinho!
Quando a mudança chegou, trouxe-o para a casa, mas percebia que ele estava estranhando tudo e sabia que ele estava sentindo falta dos outros. Mas foi incrível quando os outros chegaram! Um brilho no olhar dele apareceu e aí acho que ele sentiu que o lugar seria o novo lar.

Logo o Lex ganhou o quintal e ficava maravilhado de tantas novidades!!!! Alucinado com tantas borboletas e bichinhos diferentes. Se deixasse, passava o dia inteiro lá fora, mesmo com chuva! A Fufi mal chegava perto da porta e eu só via suas narinas mexendo, tentando sugar informações daquele lugar totalmente estranho... grama, nem pensar! O Estopa arriscava uns passinhos na grama e olhava curioso quando via alguma borboletinha voando ou algum calanguinho subindo pela parede...

Nos dias atuais, muitas coisas mudaram! Ao acordar, depois de uns afazeres normais no quarto, preparo-me para descer (a casa é um sobrado) e quando chego perto da escada todos correm para lá, competindo pra ver quem chega primeiro – o Estopa e o Lex ficam com a cara grudada na porta da cozinha, esperando que eu a abra! Abro a porta e saem os três... cada um para sua exploração individual.
Eles aprontam todas! O Lex já arrumou amigos e inimigos. Algumas batalhas ele ganha e vem todo pomposo me mostrar o que abocanhou – já matou 3 calanguinhos e dois passarinhos (infelizmente) e fora o que eu não sei, pois ele vive com o cocô mole (ops! fezes pastosas)!!!! O Estopa também faz as suas, mas se contenta com coisas que se movimentam menos, como caules suculentos das plantinhas que o jardineiro cultiva com tanto carinho!
A Fufi continua uma “lady”. Ela sai, dá seu rolê pelo quintal, mas não curte muito a terra... ainda anda pela grama como se pisasse em ovos! A maior parte do tempo ela fica mesmo na cama e sempre está com o pêlo impecável e os coxins parecem que nunca encostaram em nada que não seja uma almofada!
Em compensação o Lex, parece um maloqueiro!!!! Invariavelmente ele volta para dentro de casa com toda sorte de coisas penduradas no pêlo. Quando chega a hora dele entrar, é uma tristeza! Muitas vezes ele reclama, fazendo um barulhinho característico de quando está injuriado, ou fica fugindo de mim quando vou busca-lo no quintal (fico correndo feito uma idiota atrás dele!). E uma vez dentro de casa, fica tempos e tempos olhando pela janela pra ver o que está perdendo por não estar lá fora! Quando chove, ele fica muito entediado, mas acho que ele está aprendendo que quando chove lá fora, os gatos devem ficar do lado de dentro!

Enfim, analisando a situação depois de um tempo, acho que a mudança foi benéfica para todos. Os brinquedinhos tão usados em São Paulo, ficam esquecidos pelos cantos da casa!!! Apesar de não dar a eles uma liberdade total e irrestrita, sinto que eles hoje são mais felizes do que antes, pois têm muito mais espaço. Sei que isso os expõem a muito mais riscos: nem sempre posso estar por perto e não permitir que eles entrem em contato com a infinidade de bichos que existe por aqui, mas é um risco que eles terão que correr e espero que nada muito terrível aconteça.

Tenho certeza de que se a Milka estivesse aqui conosco, ela estaria muito feliz. Estaria correndo com o Lex pela grama, ou correndo atrás de todas as borboletas e passarinhos que passassem inadivertidamente pelo quintal e seria mais uma competindo pra ver quem sai primeiro, quando eu abro a porta da cozinha de manhã cedo...

Um comentário:

lucia fontes disse...

Delícia de texto! As fotos dos gatos estão maravilhosas também! Ri quando você chamou o Lecão de maloqueiro... hehehe!
Beijão, Lu!


Adoro os felinos... esta foto foi feita durante o passeio pelo Zoológico!

"Os espaços, um a um, deveríamos com jovialidade percorrer, sem nos deixar prender a nenhum deles...". - Hermann Hesse -

"Não gaste impensadamente os seus dias na pregação desesperada de princípios renovadores que você tem dificuldades de abraçar. Corrijamos em nós o que nos aborrece nos outros e Jesus fará o resto pela felicidade do mundo inteiro". - Bezerra de Menezes - psicografia de Francisco Cândido Xavier

Sombra!

Sombra!
Realmente, depois que o Estopa se foi, a Fufi mudou alguns hábitos... além de ter mais curiosidade pela parte externa da casa, agora ela fica muito atrás de mim, sempre me fazendo companhia. Na foto, ela está no meu colo enquanto estou no atelier costurando!!!!